BLog: O diário digital de VMNF.NET

27/01/2005

Quem respeita as normas (X)HTML, CSS, RSS e Atom?

Colocado em: — Vitor M. N. Fernandes @ 13:56

Alguém respeita as normas como o (X)HTML, CSS, RSS e Atom que definem os padrões para as páginas Web, folhas de estilos e registos de sindicância? Se as normas existem não deveriam elas ser respeitadas?

1. Contexto
A normalização chegou ao W3C com o HTML 3.2, nome de código Wilbur, que foi seguido depois pelo HTML 4.0, 4.01. Algumas das melhorias (3.2 - 4.x) foram a separação entre a apresentação (CSS) e a estrutura (HTML), o suporte internacional entre outras. O XHTML surge pouco depois do HTML 4.01 para fazer a transição para uma linguagem de marcação para texto. XHTML 1.1 é uma versão de hipertexto que tira partido da arquitectura XML.
Os feeds Atom e RSS (que utilizam o XML) surgiram para permitir a rápida verificação de novidades ou alterações em locais Web de forma centralizada (Para leitura de feeds deixo o SharpReader e as BlogLines).
Esta normalização permite a interoperabilidade entre produtores de páginas / conteúdos e os seus leitores nas mais variadas plataformas de produção e consulta.
Todos somos prejudicados pela não aceitação das normas por todos. Ferramentas / plataformas não apresentam os conteúdos com código normalizado. Os navegadores não implementam correctamente as normas na sua totalidade, cada um faz interpretações diferentes das mesmas páginas e estendem a seu gosto as normas. No final vemos que a mesma página pode ter apresentações muito diferentes para o mesmo código fonte (X)HTML.

Na página 2 apresento resultados de uma pequena exploração sobre validação das normas em locais.
Na página 3 podem experimentar validar os vossos URLs.
Não se esqueçam de deixar o vosso comentário! ;)

2 Comentários »

O URI para Referências externas desta entrada é: http://www.vmnf.net/blog/wp-trackback-nospam.php/26

  1. Bem que luto, de há algum tempo para cá, para que se usem os standards. É que tudo bem feitinho, não dá mais trabalho nem tem mais limitações do que fazer da forma tradicional (i.e., “à balda"). É preciso é saber o que se anda a fazer… Não há desculpa, hoje em dia, para não manter o conteúdo completamente separado da forma usando CSS e XHTML, tornando os sites visíveis em tudo quanto é browser (e muitas vezes diminuindo bastante o tamanho das páginas).

    As diferenças de rendering entre os browsers mais recentes não são assim tão grandes, e conseguem-se evitar com codificação cuidadosa. É pernicioso pensar (como o fazem a maioria das pessoas) que ser visível (e utilizável) em todos é o mesmo que ser igual em todos. Não tem porque ser assim.

    O site do meu doutoramento está feito assim e consigo usá-lo do Mozilla, ao IE, ao meu telemóvel e à minha Palm… Um dos meus “divertimentos” é desligar as CSS no browser e mesmo assim continuar a aceder eficazmente a todo o conteúdo.

    Já agora, acrescentava o DOM à lista de standards. Seria maravilhoso o mundo em que as coisas não funcionassem apenas em Internet Explorer porque alguma “alma iluminada” usou um JS mal engendrado.

    Não custava nada ensinar estas coisas logo de raiz aos nossos alunos. Muitos deles acabam por fazer sites…

    Enfim, termino com a referência ao plugin ‘WebDeveloper’ do Mozilla, que tanto ajuda a cumprir os standards por ter as ferramentas de validação à mão.

    Comment por Daniel Gonçalves — 27/01/2005 @ 16:27

  2. Vitor,

    O teu estudo comprova que realmente quase ninguém, hoje em dia, utiliza este tipo de padrões. Infelizmente eu considero normal, uma vez que a maior parte das pessoas não sabe ou não percebe a necessidade / importância de seguir este tipo de “regras", na construção de páginas Web.

    Vivemos cada vez mais numa sociedade de informação. Sociedade esta, em que a informação existe à quantidade mas não em qualidade. Com vários recursos cada vez mais disponíveis é difícil filtrar aqueles que são realmente relevantes na aprendizagem. Basta tentarmos procurar no Google por XHTML: obtemos 23,600,000 resultados. Destes milhares e milhares de resultados quais são realmente os mais relevantes? Serão mesmo aqueles que aparecem nos primeiros lugares? Não esquecer também que a maior parte das pessoas não sabe fazer pesquisas na Internet de forma a filtrar a qualidade dos resultados, em detrimento da quantidade.

    Eu acredito que com o uso correcto e cuidado destas ferramentas (os blogs) conseguimos, eventualmente, fazer a diferença. Acho também que, depois das nossas conversas, já percebeste isso. O teu post comprova. Conto com a tua ajuda :).

    Aproveito para referenciar um post que fiz sobre O que é afinal XHTML?, onde explico a sua importância e como podemos já começar a converter as nossas páginas para este padrão.

    Continua com a motivação e bom trabalho,
    Fred

    Comment por Frederico Figueiredo — 28/01/2005 @ 09:27

RSS feed para comentários nesta entrada.

Deixe um comentário

Quebras de linha e parágrafo automáticas, endereços de e-mail nunca serão mostrados, HTML permitido:
<a href="" title="" target="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <code> <em> <i> <strike> <strong>

(obrigatório)

(obrigatório)

authimage



Importante: Todos os comentários submetidos são moderados pelo administrador, de forma a evitar SPAM e/ou publicidade. Ao submeter, esta página irá ser recarregada e o comentário oculto. Mas nada se perdeu. O comentário foi enviado para moderação e será, dentro de em breve, disponibilizado.



Powered by WordPress (28 resultados em 0.123 segundos.)